Lúpus é mais comum nas mulheres: saiba os motivos

O lúpus é uma doença inflamatória de origem autoimune, na qual os anticorpos afetam órgãos saudáveis do organismo como pele, rins, cérebro e articulações, dentre outros. De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, aproximadamente 65 mil brasileiros têm a doença, sendo a maioria mulheres.

A causa do lúpus está atrelada a fatores hormonais, infecciosos, genéticos e ambientais. É a questão hormonal que faz com que as mulheres entre 15 e 40 anos sejam mais afetadas pela doença do que os homens.

Os hormônios femininos são fatores de risco para o lúpus. Por isso que a faixa etária na qual a mulher tem mais chance de apresentar a doença é a que vai da primeira menstruação até a entrada na menopausa — explica Francinne Machado Ribeiro, membro da Comissão de Lúpus da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

Existem quatro tipos de lúpus: discoide, quando a inflamação ocorre só na pele, levando a lesões avermelhadas no rosto, na nuca ou no couro cabeludo; sistêmico, forma mais comum e que compromete vários órgãos ou sistemas; induzido por drogas, semelhante ao sistêmico, mas temporário, enquanto o paciente estiver fazendo uso de um medicamento, via de regra; e neonatal, mais raro e em filhos de mulheres com lúpus.

De acordo com o reumatologista Jaime Goldzveig, membro da plataforma Doctoralia, o diagnóstico costuma ser difícil, uma vez que os sintomas variam de um paciente para o outro, e podem ser confundidos com outras patologias ou mudam com o passar do tempo.

O ideal é que, além do exame físico, sejam solicitados exames de anticorpos, sangue e urina, além de radiografia do tórax e biópsia renal, quando necessário — diz.

Por isso, a detecção da doença é feita por exclusão: o médico avalia o paciente, confere o resultado dos exames e elimina a possibilidade de outras doenças até restar o lúpus.

Ainda não existe cura, mas há como tratar

O lúpus ainda não tem cura, mas seguindo o tratamento corretamente, é possível controlar a doença, devolvendo qualidade de vida para o paciente. Além de medicamentos, é preciso que alguns hábitos sejam modificados, como lista Francinne:

Tão importante quanto o tratamento medicamentoso são os cuidados que as pessoas devem ter, como manter hábitos saudáveis. É preciso que o paciente aprenda a lidar com as dificuldades da vida porque, muitas vezes, as doenças autoimunes se manifestam ou se agravam depois de um estresse emocional. Também é fundamental parar de fumar e evitar a exposição solar.

Fonte: Extra – Globo 

56 thoughts on “Lúpus é mais comum nas mulheres: saiba os motivos

  1. http://checkwebsiteprice.com says:

    I cherished as much as you will receive performed proper here.

    The cartoon is attractive, your authored material stylish.
    however, you command get got an impatience over that you
    would like be delivering the following. ill for sure come further until now again since precisely
    the similar nearly a lot continuously inside of case you shield this increase.

  2. Trent says:

    I was just looking for this information for some time.
    After 6 hours of continuous Googleing, at last I got it in your website.
    I wonder what’s the lack of Google strategy that don’t rank this type
    of informative web sites in top of the list. Normally the top websites are full of garbage.

  3. www.london.umb.edu says:

    Great work! This is the type of information that are meant to be shared across the web.
    Disgrace on the search engines for now not positioning this post higher!

    Come on over and discuss with my site . Thanks =)

  4. disqus.com says:

    Whats up very nice web site!! Guy .. Excellent .. Amazing ..
    I will bookmark your website and take the feeds also? I’m happy to find
    numerous useful info right here in the put up, we’d like work out more strategies in this regard, thanks for sharing.

    . . . . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *