Dança: quais os benefícios da prática para a saúde?

Deixar o corpo se embalar em algum ritmo musical é garantia de um estilo de vida mais saudável. Além de ser uma atividade prazerosa, a dança faz bem para a saúde física, mental e emocional. Confira abaixo a lista com os principais benefícios que a dança proporciona.

O corpo ganha mais força e resistência

Cair na dança é capaz de fortalecer os músculos, melhorar a flexibilidade, a força e a resistência. Os efeitos acabam refletindo no corpo: você ganha mais agilidade, equilíbrio, elasticidade e corrige a postura. Além destes benefícios, a dança contribui para a saúde dos ossos, prevenindo, inclusive, a osteoporose. Para se ter uma ideia, com 30 minutos de prática regular, três vezes por semana, as vantagens já podem ser percebidas. Portanto, se a ideia é a definição de curvas com uma musculatura mais saudável, aposte nesta modalidade.

Dançar faz bem para o coração

A prática de exercícios físicos é fundamental para dar aquela ajudinha para o nosso “amigo do peito”. Com a dança, claro, não poderia ser diferente, já que se trata de uma atividade aeróbica. Em alguns estilos de dança mais dinâmicos, como a zumba, a frequência cardíaca aumenta e, com isso, a circulação do sangue é estimulada – melhorando a capacidade respiratória. A prática, inclusive, é apontada por especialistas como uma importante aliada para a redução do colesterol alto e diabetes.

Um corpo mais leve, livre e solto

A dança também trabalha a desenvoltura, ou seja, permite – e estimula – a expressão do corpo. E quando isso acontece, é possível ter, além da consciência corporal, a consciência sobre si mesmo. Esse movimento de se perceber e expressar por meio da dança traz mais autoconfiança. Dançar em grupo, aliás, favorece uma maior interação com os parceiros de aula – e esta socialização acaba sendo perfeita para fazer novas amizades. A dança ainda deixa a autoestima lá no alto, gerando ânimo e leveza.

Quem dança tem mais energia e motivação

Se a ideia é dar um baile na rotina e na preguiça, dançar vai renovar suas energias, trazendo muito mais disposição. Isso acontece porque dançar nos faz esquecer que estamos nos exercitando. Afinal, a empolgação com a música tocando, a coreografia animada e o fato de que é impossível dançar sem sorrir tornam essa atividade muito divertida. Ao experimentar todas essas sensações, geramos mais energia e renovamos a motivação para encarar o dia a dia.

A prática “expulsa” o estresse

Quando os níveis de estresse sobrem, o corpo produz adrenalina e cortisol (hormônios do estresse), deixando o coração mais acelerado, o corpo mais tenso, entre outras sensações. Ao dançar, essa agitação e tensão acumulada se transformam em puro relaxamento. Bailando, o corpo passa a liberar os hormônios do prazer: endorfina, dopamina e serotonina. E esse benefício traz mais equilíbrio emocional, reduzindo, assim, a ansiedade e o desagradável estresse.

Dançar tem efeitos positivos na memória

Além de movimentar todo o corpo e proporcionar inúmeros benefícios, dançar é um excelente exercício para o cérebro. Mexer o corpo ao som da música é ótimo para turbinar a concentração e a memória. Este ganho, inclusive, é comprovado a partir de um estudo alemão, que revelou que dançar é benéfico para aprimorar e fortalecer a função de uma importante área do cérebro: o hipocampo. De acordo com os pesquisadores, esta região é especialmente estimulada durante a memorização das coreografias, garantindo, também, maior equilíbrio e prevenindo o envelhecimento da memória, bem como doenças degenerativas como o Alzheimer.

É uma ótima aliada para conquistar o peso saudável

Manter o corpo em movimento é essencial para a manutenção do peso. Mas esse equilíbrio conta pontos importantes também na prevenção de doenças. A dança faz bem para saúde e oferece ritmos diferentes (e fáceis de praticar) para gastar muita energia. Dependendo da intensidade da aula, o gasto calórico em uma hora de prática pode chegar a 600 calorias.

Todos são bem-vindos a praticar a dança

Dança faz bem pra saúde, e é bom pra todo mundo: homens, mulheres, jovens e idosos. O mais interessante é que não é preciso saber dançar para começar, mas sim seguir os passos no seu ritmo e do seu jeito. Basta relaxar e se entregar para aproveitar todas as vantagens que o universo da dança oferece para a qualidade de vida.

*Guilherme Lacerda é especialista em fisiologia do exercício e Gerente Técnico da Bluefit Academia.

Imprensa: Imagem Corporativa 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.