Conheça os principais mitos das dietas e do emagrecimento

Confira abaixo as dicas do nutricionista do Vigilantes do Peso para não cair em pegadinhas e manter uma alimentação equilibrada e saudável.

 Iniciar uma rotina de alimentação saudável exige dedicação e, na busca por resultados rápidos, muitas pessoas recorrem à internet. Em muitos momentos nos deparamos com uma quantidade enorme de informações e é preciso ter cautela para não cair em pegadinhas. Alimentos milagrosos, estratégias mágicas para emagrecer depressa e comidas que queimam gordura são alguns dos mitos mais corriqueiros. Abaixo, esclarecemos alguns desses fatos com Matheus Motta, nutricionista do Vigilantes do Peso.

Rituais milagrosos

Alguns métodos garantem queimar mais calorias ou a perda de peso rápida. Praticar jejum intermitente, consumir apenas alimentos ricos em proteína e com baixos teores de carboidratos e tomar água morna com limão para secar a gordura são exemplos de instruções que não têm qualquer fundamento científico.

Outro mito é a proibição de comer após às 20 horas, já que supostamente alimentos ingeridos após esse horário fazem engordar com maior facilidade. Matheus explica: “Geralmente essas regras absolutas e proibições são sinais de que algo está errado. Em uma dieta saudável, o importante é alimentar-se de forma equilibrada, priorizando alimentos in natura — como grãos, verduras, legumes e frutas —, seguindo uma rotina que se adapte às suas necessidades“.

Alimentos que queimam gordura

A forma correta de reduzir a gordura no organismo é aliar uma alimentação saudável à prática de atividades físicas, sempre com orientação profissional. Produtos conhecidos por “queimar gordurinhas”, como comidas zero caloria, chás, cafés e até mesmo a água, podem auxiliar no emagrecimento por outro motivo: eles aceleram o metabolismo.

Vilões da dieta

Por outro lado, é muito comum ouvirmos falar de alimentos que devem ser cortados da dieta para que seja possível emagrecer. Isso não é verdade, o que existe são comidas que, para determinadas pessoas, podem fazer bem ou mal. No entanto, isso vai depender de diversos fatores.

No geral, a recomendação é evitar produtos ultra processados, como margarina e refrigerantes, por exemplo, por conterem grande quantidade de substâncias químicas e açúcares em sua composição.

Dietas da moda

Seguir dietas da moda e altamente restritivas, com o objetivo de reduzir o peso rapidamente, representa um sério risco para a saúde. È compreensível que as pessoas queiram ver os resultados das dietas rapidamente, mas privar-se excessivamente de calorias, por exemplo, pode fazer com que o corpo não tenha energia para manter as suas funções básicas. Já a deficiência de vitaminas e minerais pode ocasionar quadros clínicos sérios e preocupantes.

Outra consequência de seguir dietas sem a orientação adequada é o efeito sanfona, que consiste na perda e posterior ganho de peso de forma muito rápida. Isso acontece porque o cérebro pode entender que a repentina eliminação de peso é indesejada e uma ameaça ao organismo e, com isso, vir a tornar o metabolismo mais lento para se preservar. Além disso, o emagrecimento não-saudável ou muito rápido pode enfraquecer o sistema imunológico e aumentar os níveis de colesterol no sangue – que aparecem ao consumir as reservas de gordura do corpo.

A melhor forma de garantir o emagrecimento saudável é por meio de um processo gradual, baseado na alimentação consciente da qualidade nutricional dos alimentos ingeridos em todas as refeições, priorizando produtos naturais e refeições caseiras. Aliando tudo isso à prática de exercícios físicos na rotina, conseguimos potencializar os resultados de forma saudável e duradoura”, finaliza o nutricionista.

Alimentos diet e light

Outro mito bastante difundido é o de que alimentos diet e light são mais saudáveis e a melhor escolha para pessoas que querem emagrecer. Os produtos light são aqueles que apresentam quantidade reduzida de algum nutriente ou de valor energético. Já a versão diet é direcionada para aqueles que possuem alguma restrição na alimentação, como por exemplo quem tem diabetes e não pode ingerir açúcar.

Chocolates diet (zero açúcar), por exemplo, apesar de não terem o ingrediente adicionado, possuem alto valor calórico, semelhante ao chocolate comum, e contam com uma maior adição de gorduras. A falta do açúcar gera mudanças na textura e palatabilidade do produto, que acabam sendo corrigidas com o aumento de gorduras na composição. Dessa forma, o consumo excessivo deste tipo de alimento pode, na verdade, levar ao aumento de peso.

Dietas que curam doenças

A alimentação é uma aliada fiel do equilíbrio em nossa saúde e deve ser considerada durante o tratamento de doenças. No entanto, o papel da comida está muito mais relacionado à prevenção do que à cura. Uma dieta, por si só, não tem o poder de curar o diabetes ou o câncer, mas, certamente é fundamental para contribuir com o tratamento e gerar uma maior sensação de bem-estar no paciente.

Fonte: Vigilantes do Peso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *