facebook twitter youtube

Glossário

A-Q / R-Z

– ACANTOSE
Aumento no número de células na epiderme.

– ADENOMEGALIA
Aumento de volume dos gânglios linfáticos, especialmente em pescoço, virilha e axilas.

– ADINAMIA
Prostração física, debilidade, falta de ânimo.

– ALOPÉCIA
Perda total ou parcial de pêlos ou cabelos, em uma determinada região da pele. Quando afeta todos os pêlos do corpo é denominada alopécia universal.

– ANEMIA
Redução da concentração de hemácias e/ou de hemoglobina no sangue circulante, prejudicando o transporte de oxigênio para as células. Gera cansaço, falta de ar, palpitações, palidez em pele e mucosas, etc. Não é uma doença, mas um sinal de que existe doença.

– ANEMIA HEMOLÍTICA
Anemia em decorrência da destruição prematura das hemácias. Pode ser congênita (o indivíduo nasce com ela) ou adquirida (surge durante a vida).

– ANTICORPO
Molécula produzida pelo sistema imunológico que se une a um antígeno (substâncias estranhas) com alto grau de afinidade com o objetivo de proteger o organismo.

– ANTIFOSFOLÍPIDE
São autoantícorpos contra fosfolipídios, estruturas essa presente nas membranas. Deve ser pesquisada em indivíduos que apresentem fenômenos tromboembólicos recorrentes, abortos e plaquetopenia.

– ANTÍGENOS
Substâncias estranhas que induzem respostas específicas do sistema imunológico (induzem a produção de anticorpos).

– APOPTOSE
Processo de morte celular através de mecanismos intracelulares, que levam à “digestão” da célula sem gerar uma reação inflamatória.

– ARTERIOSCLEROSE
Processo degenerativo que leva ao endurecimento e espessamento da parede das artérias.

– ARTRALGIA
Dor em uma ou mais das articulações do corpo.

– ARTRITE
É a inflamação das articulações levando ao surgimento de diversos sintomas como dor, inchaço e rigidez da junta. Pode ser causada por diversos fatores não sendo, necessariamente, sinônimo de reumatismo.

– ARTRITE JUVENIL
É uma doença inflamatória crônica que acomete as articulações e outros órgãos como a pele. O principal sintoma é a artrite, sendo que febre e erupções na pele também podem acontecer. Caracteristicamente ela se inicia antes dos 17 anos de idade.

– ARTRITE PSORIÁTICA
É um tipo de artrite que afeta em torno de 5-7% das pessoas que sofrem de psoríase crônica na pele. Também causa inflamação nas juntas.

– ARTRITE REUMATÓIDE
É uma doença inflamatória crônica que causa dor, rigidez, calor local, vermelhidão e inchaço nas juntas, em geral afetando mais de uma articulação de cada vez e principalmente mãos.

– ARTRITE SÉPTICA
É uma doença infecciosa das articulações ocorrendo mais comumente nos joelhos. Costuma afetar apenas uma junta sendo que os principais sintomas são febre, calafrios, inchaço e dores intensas na articulação afetada.

– ARTROSE
É uma alteração crônica das articulações caracterizada pela degeneração da cartilagem articular e do osso adjacente, podendo causar dor e limitação do movimento. Ocorre principalmente nas articulações do joelho, coluna, quadril, mãos e dedos.

– ASTIGMATISMO
É uma deficiência visual causada pelo formato irregular da córnea fazendo com que a imagem não consiga ser focada em apenas um ponto. Para as pessoas que sofrem de astigmatismo, todos os objetos, tanto próximos como distantes, ficam distorcidos.

– AUTOANTICORPO
São anticorpos que passam a agir contra o próprio indivíduo que os produziu. Os anticorpos, que são estruturas com a função de proteger, adquirem a ação de agressão ao próprio indivíduo.

– BIÓPSIA
Procedimento cirúrgico no qual se colhe uma amostra de tecidos ou células para posterior estudo em laboratório. A biópsia permite o diagnóstico de doenças, além de avaliar o resultado de um tratamento.

– CEFALÉIA
Cefaléia é o termo médico para dor de cabeça.

– CERATITE
Ceratite é a inflamação da córnea (parte anterior transparente e protetora do olho) que pode ser causada por bactérias, vírus, fungos, drogas, etc.

– CEREBRITE
Inflamação do cérebro.

– CILINDRÚRIA
Presença de cilindros na urina. Os cilindros são formados quando uma substância (sangue ou proteína por exemplo) se acumula nos túbulos renais e são levados pela urina. A presença desses na urina pode indicar doença renal.

– CITOCINA
Citocina é um termo genérico empregado para designar um extenso grupo de moléculas envolvidas no desencadeamento das respostas imunes (defesa do organismo).

– COLITE
Inflamação aguda ou crônica do cólon (parte do intestino grosso responsável pela absorção de água nas fezes).

– COMPLEMENTO (C3, C4, CH50)
O sistema complemento (C3, C4, CH50) é composto por proteínas de membrana plasmática ou solúveis no sangue que são importantes no mecanismo de defesa do hospedeiro contra organismos invasores.

– CÓREIA
Doença neurológica caracterizada por movimentos irregulares e involuntários que acometem uma parte do corpo.

– DEFORMIDADE ADQUIRIDA
Alteração da forma ou do aspecto de uma parte do corpo ou de um órgão, adquirida através de doença, trauma, distúrbio funcional, posição viciosa entre outros.

– DEFORMIDADE CONGÊNITA
Alteração da forma ou do aspecto de uma parte do corpo ou de um órgão, adquirida durante a formação embriológica do indivíduo, ou seja, durante sua vida intra-uterina.

– DERMATITE ATÓPICA
É uma manifestação eczematoza (calor, rubor, edema, vesiculação, formação de crostas e escamas) normalmente associada à processos alérgicos como asma e rinite alérgica. O indivíduo reage de forma anormal a inúmeros estímulos na pele. Manifesta-se normalmente a partir do 3º mês de vida.

– DERMATITE SEBORRÉICA
Caracteriza-se por escamas soltas e por placas crostosas róseas ou amareladas. Ocorre em áreas onde há um maior número de glândulas sebáceas como couro cabeludo, sobrancelhas, laterais do nariz e orelhas. Não é contagiosa.

– DERMATOMIOSITE
A dermatomiosite, também conhecida como dermatopolimiosite, é uma doença crônica que se caracteriza por acometimento inflamatório da pele e dos músculos. Pode se apresentar só com manifestações musculares (polimiosite), e mais raramente só com manifestações cutâneas (dermatomiosite amiopática).

– DESMIELINIZANTE
Processo degenerativo onde os neurônios perdem uma parte de sua estrutura, parte essa que é denominada de bainha de mielina e permite aos nervos receber e interpretar as mensagens do cérebro a uma velocidade máxima. Como sintomas pode-se citar a perda de força muscular entre outros.

– DISPEPSIA
É a dor ou o desconforto localizado na região abdominal superior ou no tórax e que, frequentemente, é descrita como a sensação de acúmulo de gases, de plenitude ou como uma dor tipo queimação.

– DOENÇA CELÍACA
É uma doença autoimune que afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos, desencadeada pela ingestão de alimentos que contenham glúten. A doença causa prejuízo na absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água. Os sintomas podem incluir diarréia, dificuldades no desenvolvimento (em crianças) e fadiga, embora possam estar ausentes.

– DOENÇA DE BEHÇET
É uma vasculite sistêmica (inflamação dos vasos sanguíneos) de causa desconhecida, caracterizada por úlceras (aftas) orais e genitais recorrentes, e com envolvimento dos olhos, articulações, pele, vasos sanguíneos e sistema nervoso.

– DOENÇA DE CROHN
Esta doença se caracteriza por resposta imunológica exacerbada às bactérias que habitam naturalmente o trato digestivo, causando inflamação das paredes do trato digestivo com formação de úlceras e fissuras.

– DOENÇA DE GRAVES
Doença auto-imune em que são produzidos anticorpos que estimulam a produção de hormônios (T3 e T4) pela glândula tireóide. O paciente apresenta os sintomas típicos do hipertireoidismo, como intolerância ao calor, insônia, irritabilidade, diarréia, palpitações, sudorese exagerada, etc.

– DOENÇA MISTA
Trata-se de um grupo de doenças que apresentam as características combinadas de Lúpus Eritematoso Sistêmico, esclerose sistêmica e artrite reumatóide.

– DOENÇA DE STILL
Trata-se da artrite reumatóide juvenil acompanhada de sintomas sistêmicos extra-articulares, ou seja, há a presença de artrite com sintomas como febre, serosites, exantema maculopapular. Por muitas vezes, a artrite pode ser o único sintoma por um longo período.

– EFISEMA PULMONAR
Processo de destruição dos alvéolos, estruturas essas que compõe os pulmões. Um dos principais causadores é o tabagismo e clinicamente caracteriza-se por presença de dispnéia (falta de ar).

– EMBOLIA PULMUNAR
É o bloqueio da artéria pulmonar ou um de seus ramos, gerando o cessar do suprimento de sangue de uma parte do pulmão acometido. Os sintomas incluem falta de ar, dor torácica e palpitações, respiração rápida (taquipnéia) e frequência cardíaca aumentada (taquicardia). Casos graves podem levar a colapso e até a morte.

– ENDORCARDITE
Infecção que atinge o endocárdio, que é a camada mais interna do coração. Geralmente há um comprometimento das válvulas cardíacas também. Infecções de origem dentária estão entre as principais causas da endocardite infecciosa.

– EQUIMOSES
É uma mancha vermelha maior que 1 cm e que não desaparece com ao pressioná-la. Ocorre por extravasamento de hemácias na derme. Com a evolução da lesão, a mancha passa a ser arroxeada e verde amarelada, sucessivamente.

– ERITEMA POLIMORFO
São manchas elevadas e avermelhadas pelo corpo que podem ter várias formas. É frequente encontrá-lo em processos alérgicos a alguns fármacos, infecções ou até mesmo sem causa aparente.

– ERITRÓCITOS
Eritrócito é sinônimo de hemácia. São as células do sangue responsáveis por carregar o oxigênio e distribuí-lo as outras células do corpo.

– ESCLERODERMIA
Esclerodermia é uma doença do tecido conjuntivo que afeta a pele, e algumas vezes os órgãos internos. É classificada como doença autoimune e uma das suas principais características é o enrijecimento da pele.

– ESCLEROSE MÚLTIPLA
Doença degenerativa que acomete a denominada parte branca do sistema nervoso (cérebro, medula e nervos). Não se sabe a causa e pode gerar vários tipos de sintomas como perda da força de um membro, perda da visão, perda da sensibilidade, não tendo portanto um padrão específico.

– ESPLENOMEGALIA
Crescimento anormal do baço que ocorre em inúmeras doenças (por exemplo cirrose, leucemias e algumas infecções). O baço é um órgão localizado à esquerda no abdome, protegido pelas costelas, que em condições normais não é palpável.

– ESPONDILITE ANQUILOSANTE
É uma doença inflamatória crônica que acomete a região sacroilíaca e coluna vertebral. Acometendo pessoas jovens, mais homens. Ocorre intensa dor nos locais lesados além de rigidez.

– ESPONGIOSE
Trata-se de uma lesão eczematosa sendo avermelhada, elevada e com saída de secreção que posteriormente forma uma crosta. É um processo inflamatório na pele.

– ESTRABISMO
Perda do paralelismo entre os olhos. Pessoas com estrabismo são chamadas popularmente de “vesgas“.

– ESTRÓGENO
Hormônio produzido pelos ovários responsável pelo desenvolvimento das características sexuais secundárias femininas (por exemplo o crescimento das mamas). Além disso, o estrógeno tem papel essencial no controle do ciclo menstrual e na ovulação.

– FAN
São os fatores antinuclear, ou seja, contra estruturas presente nos núcleos das células. Associada a sintomas compatíveis, serve para diagnostico de algumas doenças, porém sua presença isolada não representa doença bem como esse não é específico para nenhuma doença.

– FARINGITE
Inflamação da faringe. A faringite pode ocorrer tanto em infecções virais quanto em infecções bacterianas. Os sintomas mais comuns são a dor de garganta e a dor ao engolir, mas pode aparecer também placas com pus, vermelhidão, febre e adenomegalia.

– FENÔMENO DE RAYNAUD
É um episódio de constrição de pequenas artérias, desencadeando alterações da cor da pele das extremidades, ora com palidez, ora com cianose (extremidades roxas), seguidas ou não de hiperemia reacional (vermelhidão).

– FIBROMIALGIA
Desordem que causa dor muscular e fadiga. Pessoas com de fibromialgia têm “pontos sensíveis” no corpo, que são locais específicos no pescoço, ombros, costas, braços, quadril e pernas que doem à palpação.

– FIBROSE
Formação ou desenvolvimento em excesso de tecido conjuntivo fibroso em um órgão ou tecido podendo ser processo reparativo ou reativo. Nota-se nessas regiões da pele perda da elasticidade e um aspecto mais rígido.

– FOLÍCULOS
É um grupo de células que delimitam uma cavidade. Há, por exemplo, folículo piloso que produz o pêlo e por onde a raiz do pêlo emerge. Os outros folículos do organismo são: ovariano, linfático, tireoidiano, dental, embrionário.

– FOTODERMATOSES
São lesões na pele provocadas por reações fototóxicas de substâncias que quando em contato com a pele, potencializam a ação da luz ultravioleta.

– FOTOSSENBILIDADE
É uma maior sensibilidade à luz solar, mais especificamente, à luz ultravioleta. Pessoas que são fotossensíveis sofrem desconforto e alterações na pele mais facilmente, quando expostas ao sol.

– GLOMERULONEFRITES
São processos inflamatórios que acometem uma parte do rim denominada glomérulo. Pode ter origem autoimune ou infecciosa, ser sintomática ou não.

– HEMÁCIAS
São as células presentes em maior quantidade no sangue. Contém em seu interior a hemoglobina, substância que carrega o oxigênio. As hemácias são as células responsáveis por levar o oxigênio à todas as outras células do corpo. Hemácia é sinônimo de eritrócito.

– HEMATÚRIA
Presença de sangue na urina.

– HEPATOMEGALIA
É um aumento anormal do fígado que ocorre em algumas doenças (por exemplo as hepatites e a insuficiência cardíaca congestiva). O fígado, órgão localizado à direita no abdome e protegido pelas costelas, pode ser palpado em alguns indivíduos sem que isso signifique doença.

– HEPATOPATIA
São processos que determinam o mau funcionamento do fígado, ou seja, situações em que há uma doença no fígado.

– HIPERCERATOSE
Espessamento da camada córnea da pele pelo aumento de queratina. Normalmente está associado com alterações qualitativas da queratina. Macroscopicamente é vista como um “endurecimento” da pele.

– ICTERÍCIA
Caracteriza-se por uma cor amarelada por depósito de pigmento biliar na pele, membranas, mucosas e esclera. A icterícia ocorre devido ao aumento de bilirrubina no organismo (hiperbilirrubinemia).

– IMUNOCOMPLEXOS
São estruturas formadas pela associação do anticorpo com seu antígeno, sendo que o antigeno pode ser por muitas vezes uma estrutura do próprio organismo do indivíduo. Muitas doenças (por exemplo Lúpus Eritematoso Sistêmico) são decorrentes da deposição destes imunocomplexos em locais do nosso corpo, por exemplo articulações.

– IMUNUSSUPRESSORES
São substâncias que tem a capacidade de inibir o funcionamento do sistema imune do indivíduo. São usados em pacientes que apresentam doenças de origem autoimune.

– LEUCÓCITOS
São células presente no sangue que tem a função de defesa do organismo. Também são conhecidos como glóbulos brancos.

– LEUCOPENIA
Diminuição de glóbulos brancos do sangue. O indivíduo passa a apresentar leucopenia quando apresenta menos de 4500 leucócitos por milímetro cúbico de sangue.

– LEUCOSES
São síndromes também denominadas de leucemias agudas. São neoplasias que acometem a medula óssea e se caracterizam pela proliferação da medula óssea de maneira desordenada.

– LINFÓCITO
É uma célula do sangue com função de defesa do organismo. Trata-se de uma das células que compõe os leucócitos.

– LINFÓCITO B
É uma célula com função de defesa do organismo já que tem a função de produzir anticorpos e também gerar memória referente aquele antígeno que já teve contato.

– LINFÓCITO T
É uma célula com função de defesa do organismo já que tem a função de destruir antígenos que invadam as células. Logo, possui uma ação contra antígenos intracelulares.

– LINFOPATIA
São doenças que acometem o sistema linfático (vasos, linfonodos e linfa).

– LÍQUEN
Trata-se de uma placa delimitada, espessa, progressiva ,que coça e que ocorre na pele.

MACRÓFAGO
São células de defesa que se localizam nos tecidos de alguns órgãos, sendo capazes de se movimentar nos tecidos, podendo capturar (fagocitar) agentes invasores e destruí-los através de digestão por enzimas que eles mesmos produzem.

– MEMBRANOSA
Trata-se de um tipo de acometimento renal em pessoas com nefrite lúpica.

– MIASTENIA GRAVE
A miastenia grave é uma doença neuromuscular que causa fraqueza e fadiga anormalmente rápida dos músculos voluntários. A fraqueza é causada por um defeito na transmissão dos impulsos dos nervos para os músculos. A doença raramente é fatal, mas pode ameaçar a vida quando atinge os músculos da deglutição e da respiração.

– MICROTROMBOS
São trombos muito pequenos que geram oclusão dos pequenos vasos. Estão associados à alterações de coagulação e de vasos sanguíneos. Podem se desprender e acometer outras áreas do corpo.

– MIELOSSUPRESSIVAS
São substâncias que geram a inibição da atividade da medula óssea. Ou seja, as células do sangue deixam de ser produzidas ou são produzidas em micro quantidades.

– MIOCARDITE
Inflamação do coração, geralmente resultante de causa infecciosa (por exemplo alguns tipos de vírus). Também pode ser causada por alguns fármacos, radiação, agentes químicos e físicos.

– MIOSITE
Processo inflamatório dos músculos.

– NECROSE
Estado de morte do tecido ou parte dele. É um processo patológico e desordenado de morte celular causado por fatores que levam à lesão celular irreversível e consequente morte celular.

– NEFRITE
Resulta de processo de inflamação disseminado no néfron que pode atingir os glomérulos (estrutura renal em forma de novelo e responsável pelo trabalho de filtração neste órgão), e tem por base uma reação imunológica ou uma infecção (como na pielonefrite).

– NEFROPATIA
Nefropatia significa lesão ou doença do rim. Muitas são as doenças ou medicações que podem causá-la, como, por exemplo, o diabetes, o lúpus, a hipertensão arterial sistêmica ou infecções.

– NEURITE
Lesão inflamatória ou degenerativa dos nervos, da qual gera perda da movimentação ou da sensibilidade. Compromete a atividade no sistema nervoso.

– NEUTRÓFILOS
É um tipo de célula de defesa e faz parte dos tipos celulares que compõe os leucócitos.

– OSTEONECROSE
Estado de morte do tecido ósseo ou parte dele. É um processo patológico e desordenado de morte celular causado por fatores que levam à lesão celular irreversível e consequente morte celular.

– OSTEOPOROSE
Doença que atinge os ossos, caracterizando-se pela redução da massa óssea e o desenvolvimento de ossos porosos, finos e de extrema sensibilidade, mais sujeitos a fraturas. Faz parte do processo normal de envelhecimento e é mais comum em mulheres que em homens. A doença progride lentamente e raramente apresenta sintomas antes que aconteça algo de maior gravidade, como uma fratura, que costuma ser espontânea.
[end_tabset]

– PANCREATITE
Processo inflamatório do pâncreas, de aparecimento geralmente súbito (agudo) e etiologia variada, geralmente acompanhada de importante comprometimento sistêmico. Pode estar presente de forma crônica em pacientes alcoólatras.

– PÁPULAS
É uma lesão na pele caracterizada por ser: sólida, elevada, circunscrita, menor que 5 mm de diâmetro.

– PARACERATOSE
É uma alteração da queratinização da pele, em que há presença de núcleo na camada córnea (camada mais externa da epiderme) e há redução ou ausência da camada granulosa (abaixo da camada córnea).

– PERICARDITE
Inflamação do pericárdio. O pericárdio é uma membrana que envolve o coração, desempenhando importantes funções (por exemplo manter o coração na posição correta e impedir o atrito com outros órgãos). Um sintoma importante da pericardite é a dor torácica.

– PLAQUETOPENIA
É a redução do número de plaquetas no sangue, geralmente inferior a 150.000/mm³. Pacientes com plaquetopenia possuem maior tendência a apresentar fenômenos hemorrágicos.

– PLEURITE
É uma inflamação das pleuras pulmonares (parietal e visceral) que pode ser seca ou com aumento do líquido pleural (derrame pleural). A doença ocorre quando um agente, geralmente um vírus ou bactéria, irrita a pleura (a dupla membrana serosa que envolve os pulmões) causando uma inflamação.

– PROLACTINA
É um hormônio secretado pela adenohipófise que estimula a produção de leite pelas glândulas mamárias e o aumento das mamas.

– PROTEINÚRIA
Perda de proteínas através da urina. Trata-se de um achado comum à várias doenças renais, porém a sua presença isolada e em pequenas quantidades não necessariamente representa a presença de doença.

– PLASMAFERESE
Processo terapêutico onde é feito a filtragem do plasma do sangue do indivíduo retirando estruturas imunes que são patológicas ao indivíduo.

– PNEUMONITE
Trata-se do processo inflamatório do tecido pulmonar.

– PSORÍASE
É uma inflamação crônica da pele que, algumas vezes, afeta as articulações. Na pele, apresenta-se como uma vermelhidão e uma intensa descamação, podendo coçar ou não. Os locais mais acometidos na pele são: joelhos, cotovelos, couro cabeludo e unhas.

– PULSOTERAPIA
Trata-se de um processo terapêutico no qual é administrada uma grande quantidade de corticóide em um indivíduo com o objetivo de diminuir a atividade do seu sistema imune, uma vez que esse esteja desencadeando doença.

– QUERATINÓCITOS
São células com a capacidade de produzir uma substância denominada queratina, que está presente em estruturas como pêlos e unhas.

Assuntos Relacionados